Bahia é o estado com maior número de assassinatos nos primeiros 9 meses do ano


 A Bahia é o estado brasileiro com o maior número de assassinatos nos nove primeiros meses deste ano, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (19), pelo Monitor da Violência. O Monitor da Violência é uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

De janeiro a setembro deste ano, a Bahia contabilizou 3.832 mortes violentas. Atrás da Bahia na lista, estão os estados do Ceará (3.046), Pernambuco (2.832) e Rio de Janeiro (2.719). Com relação à taxa por 100 mil habitantes, a Bahia ocupa a a sexta colocação no país, com índice de 25,8. à frente da Bahia estão Ceará (33,4), Pernambuco (29,6), Rio Grande do Norte (28.3), Alagoas (26,7) e Sergipe (26,2).

Comparado ao ano anterior, a Bahia teve um aumento de 81 assassinatos nos nove primeiros meses de 2020. Em 2019, foram 3.751 casos, o que significa uma alta de 2,2%.

Entre os 26 estados e Distrito Federal analisados no Monitor da Violência, 11 deles tiveram queda no número de assassinatos entre 2019 e 2020, enquanto Santa Catarina ficou estável. Entre os que tiveram alta de casos, a Bahia teve o segundo menor índice. Apenas o Amapá teve uma taxa menor no aumento de casos (1%). A maior alta foi o Ceará, que em 2019 teve 1.654 casos, e neste ano foi para 3.046.

Operação da Polícia Federal contra fraudes em verbas públicas da saúde cumpre mandados em Juazeiro e outras cidades da Bahia

 

As investigações apontam que a organização criminosa investigada fraudou licitações públicas e passou a dominar a gestão de inúmeras unidades da rede estadual de saúde, sob gestão indireta, por intermédio de diferentes Organizações Sociais de Saúde (OSS).

Essas organizações são controladas por um mesmo grupo empresarial, quase sempre registradas em nome de "laranjas".

A PF detalha ainda que essas instituições gestoras das unidades de saúde passaram a contratar empresas de fachada, ligadas ao mesmo grupo, de forma direcionada e com superfaturamento, por meio das quais os recursos públicos destinados à administração hospitalar eram escoados, sem que muitos dos serviços fossem efetivamente prestados ou os produtos fossem fornecidos.

A polícia identificou que parte dessas empresas são de consultoria, assessoria contábil e empresarial, comunicação social, além de escritórios de advocacia.

Durante as investigações, que tiveram início em junho deste ano, foram acompanhadas diversas situações no Hospital Regional de Juazeiro, como a falta de medicamentos, de insumos e equipamentos, atraso no pagamento de salários, dentre outras, gerando uma situação de transtorno aos pacientes.

A polícia informou que a unidade de saúde passou a receber quase R$ 1 milhão a mais em razão da pandemia de Covid-19.

O nome da operação, Metástase, faz alusão à corrupção, uma espécie de câncer que atinge a nossa sociedade.

 

Os investigados responderão pelos crimes de fraude à licitação (artigo 90, Lei 8.666/90), peculato (artigo 312, Código Penal), lavagem de dinheiro (artigo 1º, Lei 9.613/98) e organização criminosa (artigo 2º, Lei 12.850/2013). VIA G1-BA

Com 3.155 votos, Emanuel é eleito prefeito de Rodelas

Após ficar apenas 04 anos fora da administração do município ,Emanuel Rodrigues  (PCdoB), 54 anos, da coligação “A VITORIA É O POVO”, foi eleito prefeito de Rodelas pela terceira vez. Ele obteve 3.155 votos (51,87% dos votos válidos).

A chapa foi composta pelo administrador Aluísio Almeida Santos (PDT)

O segundo lugar ficou com  Geraldinho de Livino,(PP) ,que obteve  2.927 votos (48,13%).

 

A coligação de Emanuel elegeu 04 vereadores:

 Felipe da Bomboniere ( PC do B ),637 votos

Jussara de Firmino (PC do B ),306 votos

Selma Tuxá (PC do B), 289 votos

Jozelma de Barto (PC do B), 216 votos


Já a coligação de Geraldinho elegeu 05 vereadores:

Robson Ramos (PP), 497 votos

Van de Chico ( PP ) .418 votos

Ivany de Niaka( PP) ,407 votos

Romero (PP) ,370  votos

Rosa de Jorge (PP) ,325 votos