Professor de 62 anos é agredido por aluno de 14 anos : 'Não quero mais dar aula'

Agredido a socos por um aluno de 14 anos dentro de uma sala de aula na cidade de Lins (SP), o professor Paulo Rafael Procópio, de 62 anos, anunciou que pretende abandonar a profissão. A decisão foi tomada após 20 anos de magistério. O ataque foi um dos dois casos de agressão a professores registrados na cidade na sexta-feira (22) envolvendo alunos menores de idade. Em outra escola, um professor de 41 anos e um cuidador, de 23, foram agredidos e ameaçados por um aluno de 12 anos.
(Foto: Divulgação)
Paulo Procópio, que dá aulas de história e geografia há três anos na Escola Estadual Otacílio Sant’anna, no Parque Alto de Fátima, explicou que já tem tempo para se aposentar, mas admitia seguir trabalhando após obter o benefício. Ementrevista ao G1, ele relatou o medo de seguir na profissão. "Estou horrorizado. A gente sempre ouvia falar em casos de violência dentro de salas de aula, mas confesso que nunca imaginei passar por isso. Já estava decepcionado com a falta de respeito dos alunos, mas essa agressão foi demais”.
O professor precisou levar seus pontos cirúrgicos no rosto e mais dois no supercílio para fechar os cortes provocados pelos socos desferidos pelo aluno e também pelo caderno que foi atirado durante o ataque.

“Tem muitos professores que, até pela questão financeira, continuam trabalhando após se aposentar. Mas agora vou me aposentar e procurar outra coisa pra fazer. Não quero mais dar aulas”, diz o professor, que ficará afastado em licença médica até a próxima quarta-feira (27).