Crianças andam até 4 km ou viajam em carroças para estudar na região Norte da Bahia

 Em uma comunidade da zona rural de Remanso, no norte da Bahia, crianças percorrem cerca de quatro quilômetros de carroça ou a pé, debaixo de sol forte, para estudar.
A escola municipal São Lucas, no povoado de São Bento, é o destino desses estudantes que viajam por mais de uma hora. A estudante Maria Eduarda relata a dificuldade que é chegar na instituição. “Estou muito ansiosa para ir para a escola, mas é muito difícil”, disse.
Ela vive com outras nove pessoas em uma casa no povoado, que é o ponto de encontro das outras crianças que vão para a escola. De lá, sai o transporte escolar delas, uma carroça puxada por um burro. São quatro quilômetros de estrada de chão enfrentando a poeira, o sol forte do sertão baiano e a falta de segurança.
A dona de casa Maísa Lopes, que leva as crianças na carroça, disse que a viagem dura cerca de 1h10. “Todo dia eu levo eles e é bem difícil transportar nesse animal porque o sol é muito quente”, disse a dona de casa.
Segundo a professora Maria Lúcia Gomes, os atrasos dos alunos são constantes. “Eles sempre chegaram atrasados. É muito longe e bem difícil para eles. Eles vêm de animais e às vezes não conseguem encontrar animais e vêm a pé. Tem uns que já chegam tão cansados…”, disse a professora.
Ministério Público
Em Remanso, o vereador Arivaldo Ribeiro recebeu um abaixo-assinado dos moradores de São Bento e levou a denúncia ao Ministério Público. “As mães daquelas crianças já passaram por aquilo, e a mesma situação que é de hoje é do tempo delas também. Não pode mais acontecer isso. E não é falta de recurso, o dinheiro vem”, disse Arivaldo.
O Ministério Público da Bahia (MPBA) enviou nota dizendo que notificou a prefeitura de Remanso. O MPBA disse ainda que vai fazer diligências e que se forem constatadas irregularidades e elas não forem resolvidas, vai entrar com uma ação judicial contra a administração municipal.
Em nota, após polêmica sobre a situação ter viralizado nas redes sociais, a secretaria de Educação da cidade informou que está apurando a situação das crianças de São Bento. (Fonte: G1-BA)