Estoque de galões de água em Juazeiro só deve durar até quarta-feira (30)

estoque de galões de água em Juazeiro, cidade no norte da Bahia, só deve durar até a quarta-feira (30). A situação se deve à falta de abastecimento do produto por conta da greve dos caminhoneiros, que entrou no 9º dia nesta terça (29).
A produção da TV São Francisco, afiliada da TV Bahia na região, entrou em contato com 15 estabelecimentos que vendem o produto no município. Em nenhum deles havia água. A reportagem encontrou um estoque pequeno do produto em uma distribuidora da cidade, onde há 100 galões, quantidade que deve se esgotar na quarta.
A cidade também já está sem gás de cozinha. Por conta disso, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Juazeiro suspendeu o fornecimento de alimentação para acompanhantes de pacientes, desde a segunda-feira (29).
A medida foi tomada por conta da falta de abastecimento, gerada pela greve dos caminhoneiros, que chega ao 9º dia de paralisação nas rodovias baianas. Somente pacientes estão sendo alimentados na unidade.
A UPA informou que não há previsão de quando a alimentação para acompanhantes será regularizada, porque ainda não existe data para que as vias do estado sejam liberadas.
A possibilidade de suspenção da alimentação de pacientes não foi comentada pela UPA. Na capital, as refeições do Hospital Geral do Estado (HGE) estão garantidas por, pelo menos, até 15 dias, conforme a M. de S. Harb, empresa responsável pela alimentação da unidade.
A falta do gás de cozinha também tem comprometido o serviço de saúde do Hospital Materno Infantil da cidade. A unidade está com a esterilização de materiais comprometida.
Lá, além do preparo dos alimentos, o bloqueio das rodovias impede a chegada de um gás específico, usado para esterilizar roupas e lençóis também preocupa a unidade.
Esse material possui um sistema de armazenamento próprio, diferente do botijão comum, e só dá pra reabastecer com caminhão apropriado. O hospital não comentou como está sendo feita a esterilização do material hospitalar.
UPA de Juazeiro, na Bahia (Foto: Reprodução/TV São Francisco)