Segurança da caravana de Lula dá tapa no rosto de repórter do jornal O Globo

Um segurança contratado para a escolta da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu um tapa no rosto do repórter Sérgio Roxo, do jornal O Globo. A agressão aconteceu na tarde desta segunda-feira (26), em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, no momento em que o repórter registrava com seu celular a abordagem de seguranças a dois rapazes suspeitos de tentar incendiar pneus para impedir o acesso de Lula ao aeroporto da cidade.
Os jovens estavam sentados no chão, à beira do aeroporto de Francisco Beltrão, e cercados por seguranças do ex-presidente. Lula acabara de decolar com destino a Foz do Iguaçu (PR). Identificando-se como agente do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), um senhor pediu que Roxo guardasse o celular. O que foi feito. Outro, mais exaltado, exigiu que o repórter apagasse as cenas da memória do celular. Como o repórter se recusou, o segurança lhe deu um tapa.
O repórter tentava registrar a abordagem dos seguranças. Eles tinham detido dois rapazes. Um deles, Ricardo Inocêncio, carregava no carro pneus e combustível. Os seguranças contratados deram tapas no rapaz, exigindo documentos e o celular para checagem de mensagens.
Um segurança da equipe permanente do ex-presidente tentava tranquilizar os ânimos, pedia cautela e sugeriu que a polícia fosse acionada. Um terceiro rapaz chegou de moto, sendo também detido. Os agentes tiraram seu celular. Para baixar a tensão, o segurança oficial de Lula pedia que os rapazes permanecessem sentados para esperar a polícia.
A polícia chegou em seguida, os seguranças da caravana foram embora e o repórter, que manteve as imagens no celular, disse que iria registrar um boletim de ocorrência.
ANJ
A Associação Nacional de Jornais (ANJ) condena com veemência a agressão praticada por um segurança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o repórter Sérgio Roxo, do jornal O Globo, ocorrida hoje em Francisco Beltrão, no interior do Paraná.
Além de injustificável ato de violência, foi lamentável tentativa de impedir o livre exercício do jornalismo. O trabalho dos jornalistas é levar os fatos ao conhecimento público e quem busca prejudicar essa missão está agredindo os próprios cidadãos, e, acima de tudo, afrontando o princípio maior da liberdade de imprensa.Via :Gazeta do povo